A PESCARIA

PEIXES DO LAGO

Por se tratar de uma área represada, a pescaria no lago de Balbina é feita o ano inteiro, são capturados os Tucunarés das espécies VAZZOLERI e PACA, podendo chegar até 6 kilos, sem contar as Aruanãs, Traíras e piranhas, e o melhor, na maioria do tempo na SUPERFÍCIE, pertinho da CABANA, é uma explosão atrás da outra! 

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom

ECOLOGIA

A maioria das espécies do tucunaré vivem em lagos/lagoas (entram na mata inundada durante a cheia) e na boca e beira dos rios. Formam casais e se reproduzem em ambientes lênticos, onde constroem ninhos e cuidam da prole. Têm hábitos diurnos. Alimentam-se principalmente de peixes e camarões. São as únicas espécies de peixes da Amazônia que perseguem a presa, ou seja, após iniciar o ataque, não desistem até conseguir capturá-las, o que os torna um dos peixes mais esportivos do Brasil. Quase todos os outros peixes predadores desistem após a primeira ou segunda tentativa malsucedida, mas o tucunaré não!

EQUIPAMENTOS INDICADOS

Os materiais indicados são varas se 17 a 20 lbs, carretilha com linha de mulfilamento de 30 a 40 lbs, um bom Leader de 0.52 mm, snap ou engate rápido. A região é repleta de estruturas, fazendo a exigência de um material bem reforçado para os duelos com os peixe.
As iscas mais utilizadas são as de superfície, zaras, sticks, poper's e hélices, com tamanhos de 7 a 15 cm nas cores brancas, verde, cabeça vermelha e cores cítricas.